quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Crise dos 7 anos



Nunca me apeguei muito a números cabalísticos, mas achei curioso muitas pessoas afirmarem que, após sete anos de casamento, as coisas “azedam”. “A crise dos sete anos é inevitável”, afirmam muitos casais. Mas, acredite, o que parece ser inevitável pode ser contornado, e explico o porquê.
Ao longo do tempo, muitos dos detalhes charmosos do lar do casal vão se desfazendo. No começo, tudo é novo e reluzente: enxoval, faqueiro lustroso, copos de cristal para servir as visitas, todos os eletrodomésticos funcionando.
Por volta dos sete anos de uso, muitos jogos de copos já estarão incompletos, os talheres opacos, o enxoval com aparência de roto. Muitos eletrodomésticos terão deixado de funcionar e a rotina do casal passa a incluir a visita de técnicos que cobram os olhos da cara por serviços mal feitos.
Muitas lâmpadas da casa se queimam, e os insistentes pedidos para o maridão trocá-las soam como implicância. As paredes precisam de pintura, mas dá para continuar vivendo assim. As portas rangendo, os ralos entupidos, o filtro de água com problemas, enfim, um sem-número de problemas que transformam o outrora “ninho de amor” em um cafofo caindo aos pedaços.
Estes problemas não são notados, pois vão ocorrendo aos pouquinhos ao longo dos anos. Por volta dos sete anos, parece que o charme e o romantismo acabaram, mas a grande verdade é que foi o dinheiro que encurtou. Parece que escrevo sobre você? Calma, essa crise pode ser evitada. Não é grande trabalho, mas envolve alguma disciplina, pensando no futuro.
O casal deve incluir em seu orçamento recursos para formar uma poupança para “renovar a casa” de tempos em tempos. Alguns optam por renovar tudo de uma vez por volta dos sete ou oito anos de casamento. Ótimo! É como casar de novo, renovar sonhos, curtir a aventura de novidades em nossa vida. O caminho a ser evitado é justamente o da acomodação. Não existe o “estamos bem assim”. A vida depende de renovação!

Casais inteligentes enriquecem juntos (livro que dei para o maridão de Natal e as vezes leio um pouquinho)

3 comentários:

  1. hehehe... faz sentido, as coisas vão ficando velhas, o casamento cai na rotina...
    Eu comprei esse livro logo quando casei, do Gustavo Cerbasi. É muito bom, temos a planilha financeira que ele indica no livro é muito boa, nos controlamos muito e foi graças a ela e ao livro que compramos o novo apê.
    Bjus, ah as portas novas deram um up no ambiente, gostei muito!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi flor!

    Li esse livro duas vezes e também recomendo.
    Abraço, Erika

    ResponderExcluir
  3. OIe! Passa lá que tem selo pro c!!! bjaum

    ResponderExcluir