terça-feira, 21 de abril de 2015

Pintura

Oi pessoal, tudo bem?
Vocês devem estar pensando: "Nossa, Adriana mudou e nem veio contar pra gente como foi!".
Só que não... Eu ainda não me mudei, mas nesse sábado, aconteça o que acontecer eu me mudo.

Hoje aproveitei o feriado e encaixotei praticamente tudo:



Falta pouca coisa pra encaixotar, mas tenho ainda 3 dias morando aqui e tendo que ir trabalhar. Além disso, hoje vem uma pessoa ver o apartamento. Então, já basta a bagunça do 2º quarto, a casa tem que ficar minimamente habitável e limpa pra pessoa querer comprar, né.

Agora vou contar o porque não consegui me mudar...
Simplesmente por conta da pintura.
O pintor é bom, limpinho e cobrou barato, entretanto, ele é desorganizado (sem planejamento) e prometeu pintar o apê em 2 dias, hoje ele esta lá pintando pelo 5º dia e espero que ele consiga terminar.
São três coisas que me irritam:
1) Era obvio que não conseguiria terminar em 2 dias. Dê um prazo razoável. Queríamos trocar cores fortes, com textura e com listras, por outras lisas e claras. Como pode ter errado tanto assim. Isso atrapalha o meu planejamento.
2) Ele faz tudo pela metade, parece que todo dia esta passando massa corrida e lixando (gerando um pó terrível). Porque não faz isso, em um único dia e depois só pinta. Não, a casa esta um pó terrível. Uma parede já pintada, secando, e ele lixando a parede do lado. Fala sério.
3) Ele esta hoje no apê, isso porque nos deu cano no sábado (ah, não falei ele trabalha só aos sábados, depois que viu que não daria certo, veio em um domingo também, além de hoje feriado). Se tivesse ido, hoje estaria limpando o apê, ajeitando ele antes da mudança. Mas não, terei que fazer isso na quarta ou quinta após um longo dia trabalhando no escritório.

Imagina a minha ansiedade.
Mas o carreto e os zeladores já foram avisados da mudança nesse sábado, dia 25/04.
De qualquer forma, marido quer dar conta de fazer tudo, o que é lindo, mas o problema que não conseguimos retirar nenhum item da nossa lista de pendências. Ou seja, depois que eu já estiver morando que terei que ver o rejunte, sifão e acessórios do banheiro. E assim por diante.

Nesse momento começa a dar um frio na barriga. Uma mistura de sensações inexplicável. É ansiedade misturado com medo do novo, saudades desse apê que vim pra cá direto da festa de casamento, um terrível medo de não conseguir vender logo esse meu apê.

O novo apê tem 90% das coisas que procurávamos. E essas 10%, fará falta?
Seria perfeito se esse novo apê estivesse situado na rua onde moro hoje.
Quando estava pra casar, primeiro me apaixonei pela rua e a partir dai comecei a procurar apartamento aqui. Não importava tanto o tamanho do apê e sim que fosse nessa rua. E agora vou sair daqui? Ai, que frio na barriga.
Estou me mudando pra praticamente no mesmo bairro, mas pra eu vir pra cá, terei que pegar o carro. Coisa de 5 minutos, mas tem que ser de carro. Caramba, o detalhe é que não dirijo. Quem sabe, isso será um incentivo pra mim, não é?

Aiai, é isso. Semana que vem volto pra mostrar como foi a mudança.

Bjs

2 comentários:

  1. Amigaaaaaa...eu me mudei com a casa vazia e com dois filhos pequenos a tira color...dormindo no chão nem sei qtos dias...coisas pra instalar e consertar? Váriasssss e fora as cagadas do pedreiros...td passa amiga...e a calmaria chega....td faz parte...o importante é q vcs se amam, tão junto nessa q é mais um grande passo da vida de vez...portanto, respira fundo, erga a cabeça e entre com o pé direito...já deu td certo! Bjs carinhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Katia, fiquei super emocionada com o seu comentário. Você tem toda razão.... "Já deu tudo certo"... Muitoooooooo Obrigada

      Excluir